São Paulo

166

O Secretário municipal de Transportes, Sérgio Avelleda, afirmou em entrevista ao SPTV que o edital para a contratação do novo serviço de ônibus da capital paulista deverá ser publicado em maio.

O atual serviço foi contratado em 2003 pela então prefeita Marta Suplicy. O contrato venceu em 2013 e desde então vem sendo renovado. O serviço de ônibus transporte cerca de 10 milhões de passageiros por dia em São Paulo.

A gestão João Doria revisa as 33 mil páginas do edital criado pela gestão Fernando Haddad (PT) e que não teve uma licitação concluída. Uma das diretrizes ainda indefinida é o prazo do contrato, que foi projeto para um período de 20 anos pela gestão Haddad. O edital sofreu constestações do Tribunal de Contas do Município e só foi liberado após vários meses de embargo.

Avelleda afirmou ao STPV que a construção e a operação dos corredores deverá ficar com a iniciativa privada. “O objetivo nosso é sempre alcançar a máxima eficiência econômica”, diz Avelleda.

O secretário afirmou ainda que outro objetivo é ganhar eficiência e reduzir custos eliminando linhas concorrentes.

Uma das regras da licitação será a necessidade de que os ônibus tenham wi-fi e ar-condicionado.

Segundo Avelleda, o serviço deverá estar funcionando no segundo semestre se a licitação transcorrer sem questionamentos na Justiça.

Fonte:Por G1 São Paulo

151
Brasil, São Paulo, SP, 11/10/2012. Cartão do bilhete único - Crédito:ITACI BATISTA/AE/AE/Código imagem:122763

A gestão João Doria (PSDB) quer conceder para a iniciativa privada a gestão do sistema de Bilhete Único na cidade de São Paulo. Uma licitação vai escolher uma empresa para fazer a gestão do serviço de recebimento dos pagamentos das passagens de transporte coletivo feitos pelos usuários e repassará os valores às empresas concessionárias de ônibus, trem e metrô.

O projeto está dentro do Plano Municipal de Desestatização, previsto para ser apresentado nas próximas semanas, segundo a assessoria de imprensa de Doria. A informação foi adiantada nesta quarta-feira (8) pelo jornal “Folha de S. Paulo”.

O objetivo é reduzir custos e melhorar a qualidade e a segurança do serviço. A medida valeria apenas para a administração do Bilhete Único em relação ao uso nos ônibus de São Paulo e não altera a forma como é administrado hoje pelo governo de São Paulo – o bilhete também é usado nos trens e no Metrô.

Segundo a Secretaria de Comunicação da prefeitura, a contrapartida para a empresa que vai gerir o Bilhete Único será a própria base de clientes formada por mais de 15 milhões de bilhetes ativos – para os quais poderão ser oferecidos outros serviços como cartão de débito e crédito. A empresa poderá ganhar com uma gestão financeira do serviço, já que o repasse para as concessionárias só é feito cinco dias após o recebimento dos valores pagos pelos usuários.

Fraudes
Mesmo após a Prefeitura de São Paulo bloquear 90 mil cartões de Bilhete Único em uma investigação contra fraudes, as vendas irregulares de créditos continuam acontecendo normalmente em estações do Metrô e da CPTM. O Bom Dia São Paulo flagrou diversas situações.

Na Estação Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo, fraudadores vendem passagens mais baratas na frente da bilheteria, sem contrangimento. Um deles explica porque vende mais barato que a tarifa de R$ 3,80. “O meu tem bastante crédito”, diz. Outro vai até a catraca e passa seu cartão para os clientes interessados.

Na estação Perus da CPTM, mais de 10 pessoas vendiam créditos fraudados na entrada da estação. Um segurança chega a conversar com o grupo, mas voltou ao trabalho normalmente.

Na Estação Celso Daniel, em Santo André, pessoas devolvem o cartão para os fraudadores logo após passar a catraca. O mesmo acontece na estação da Mauá da Linha 10-Turquesa, na frente de um segurança da CPTM.

O gerente de segurança da CPTM afirmou que muitas vezes só olhar a movimentação dos fraudadores faz parte de uma estratégia dos seguranças pra conseguir pegar gente que esteja participando do esquema.

A polícia disse que trabalha junto com a CPTM e a SPTrans para impedir a ação dos fraudadores. A Secretaria de Mobilidade e Transportes trabalha numa força tarefa para acabar com o esquema de fraudes. A SPTrans informou que os cartões com crédito falso são carregados em locais não autorizados. Denúncias podem ser feitas no 156.

Fonte:G1 São Paulo

147

u primeiro mês à frente da administração da cidade de São Paulo, o prefeito João Doria (PSDB) apostou em ações de zeladoria e chamou a atenção ao se vestir de pedreiro, jardineiro e gari em atividade de embelezamento da cidade.

Doria iniciou o Corujão da Saúde e manteve a tarifa de ônibus em R$ 3,80, mas fez aumento conjunto a integração. Envolve-se em polêmicas com moradores de rua e grafiteiros e aumentou os limites de velocidade das marginais, apos conseguir derrubar uma liminar na Justiça que suspendia a mudança.

A maior parte das agendas de Doria fora da Prefeitura aconteceu na região central. Das 46 saídas, incluindo reuniões, jantares, participações em blitz e inaugurações, entre outros atos, apenas 10 foram nos bairros mais periféricos da cidade. Os números constam das agendas diárias divulgadas pela Secretaria de Comunicação entre os dias 2 e 30.

RANDOM POSTS

87
A maior ponte do mundo está prestes a ser inaugurada na China. Com um comprimento de 50 km, a passagem deve começar a ser usada...