O Flamengo pode até se autointitular o “mais querido do Brasil”, mas o título já vinha sendo usado há algum tempo para falar de outro clube: a Chapecoense. O time, que passou por dificuldades como falta de grana, deu a volta por cima e em menos de uma década subiu da Série D para a Série A, popularizou-se rapidamente e virou sucesso mesmo fora de Santa Catarina. Fatos como ser de uma cidade distante do “Velho Oeste”, pouco conhecida no resto do país, e caloura no Campeonato Brasileiro e, assim, não ter grandes rivalidades com nenhum outro time, ajudaram a criar a fama de simpática e queridinha, junto com a trajetória de superação e profissionalismo.

Por aqui, também virou febre como o primeiro clube na história de Santa Catarina a chegar a uma final de torneio internacional.  A Chape tornou-se motivo de orgulho para os catarinenses de todas as regiões. Antes da tragédia, nas redes sociais e na mídia, famosos e anônimos de todo o país já manifestavam o carinho pelo time.

Entre eles está a atriz Maitê Proença. Integrante do ExtraOrdinários, no ar no SporTV desde 2014, ela “adotou” a Chape como seu segundo time do coração e sempre falava dela no programa. Certa vez, o escritor Eduardo Bueno, o Peninha, e o jornalista Xico Sá lançaram um desafio à atriz: ela teria que estudar tudo sobre o Verdão (Maitê o chamava de “o” Chapecoense). Nesta terça-feira, ela divulgou em vídeo em que usa a camisa do time e presta solidariedade aos familiares das vítimas e ao clube catarinense:

Na página do time no Facebook, há um álbum chamado “Famosos com a camisa da Chape”, com 73 imagens. A foto mais curtida é a de Munik, campeã do BBB 16, com a camisa do Verdão, que tem mais de 9,9 mil likes. Há também imagens de Ivete Sangalo, Raul Gil, Marcos e Belutti e Wesley Safadão, entre outros. O hábito de presentear famosos e fotografá-los usando ou segurando o uniforme virou uma espécie de marca registrada do clube.

NO COMMENTS

Leave a Reply