O JOGO
Cruzeiro e Santos empataram em 2 a 2 num jogo tenso, movimentado, com várias alternativas táticas, e quem tem a agradecer é o Palmeiras. Com o resultado, o Peixe fica seis pontos atrás do líder Verdão, faltando duas rodadas para o término do Brasileirão. O Santos fica agora com chances remotas de ser campeão: precisa vencer Flamengo (fora) e América-MG (casa), além de ver o Palmeiras ser derrotado por Chapecoense (casa) e Vitória (fora). Já o Cruzeiro não tem mais chances de chegar ao G-6 que o levaria à Libertadores, já que termina a rodada com sete pontos atrás do Botafogo, sexto colocado.

DESTAQUE
PRIMEIRO TEMPO
O Cruzeiro entrou em campo bem à vontade, sem pressão, diante de um Santos que jogava a sobrevida no Brasileirão e com um problema crônico: o miolo de zaga. A dupla formada por David Braz e Fabián Noguera mostrou fragilidade. Para piorar, Zeca também não pareceu concentrado no lance do gol de Arrascaeta, aos 21 – o uruguaio aproveitou a falha coletiva para abrir o placar para o Cruzeiro. Dorival Júnior resolveu arriscar e trocou o zagueiro Noguera pelo meia Léo Cittadini. O Santos, com apenas um defensor, passou a ter mais posse de bola e a ocupar todo o campo de defesa do Cruzeiro. Faltava infiltração. Bem postado, o time mineiro marcava bem, sem dar chances ao Peixe e criando ainda chances em contra-ataques. O primeiro tempo terminou com o Cruzeiro mais perto do segundo gol do que o Santos do empate.

DESTAQUE
NÚMEROS DO JOGO
Posse de bola: Cruzeiro 51% x 49% Santos
Finalizações: Cruzeiro 14 x 9 Santos
Bolas levantadas: Cruzeiro 31 x 10 Santos
Escanteios: Cruzeiro 5 x 5 Santos
Faltas: Cruzeiro 11 x 10 Santos
Passes errados: Cruzeiro 34 x 24 Santos
Passes certos: Cruzeiro 277 x 203 Santos
Impedimentos: Cruzeiro 4 x 3 Santos

NO COMMENTS

Leave a Reply